A Vida de Carmen

2009

Entre seu sorriso envergonhado e a secreta curiosidade pelo motivo de meu interesse, ela me conta em tom de confissão que seus únicos luxos são o batom e o esmalte. Depois ri de si mesma, caso eu a estranhe ou a considere tola.
Na verdade, minha opinião é outra. Frente a sua força, eu me envergonho de minhas fraquezas e me pego perplexa diante da felicidade com que caminha.
Carmem, aos seus 44 anos, não é exceção às estatísticas que expressam o aumento das mulheres que assumem o emprego de doméstica, principal ocupação das trabalhadoras brasileiras com baixos níveis de escolaridade, o que exprime a triste situação da mão de obra feminina no Brasil que, no século XXI, consegue reproduzir indefinidamente as mesmas desigualdades sociais.
É dessa historia que nasce esse ensaio fotográfico que, ao mesmo tempo em que simboliza a luta diária de aproximadamente 6,5 milhões de domesticas brasileiras, registra a face única dessa mulher frente à sua família de quatro filhas biológicas e um filho adotivo.
Nas cores fortes dessa casa pequena e humilde, onde vários tons de pele se completam, este ensaio pretende capturar os contrastes presentes nessas vidas e a felicidade que se expressa no caminhar dessa mulher que não esqueceu os sofrimentos, mas os transformou em passos largos, rumo a um futuro melhor.

Ensaio de Gui Galembeck
Texto de Tatiana Ribeiro